Jul 25
José Forjaz é professor emérito PDF Versão para impressão Enviar por E-mail
Escrito por kamba de almeida   
Segunda, 14 Outubro 2013 23:42

José Forjaz é professor emérito

O ARQUITECTO José Forjaz, durante décadas docente da Faculdade de Arquitectura e Planeamento Físico da Universidade Eduardo Mondlane (UEM), acaba de ser outorgado por esta instituição professor emérito, num gesto que reconhece os ensinamentos por si prestados àquela instituição e ao país.

O Reitor da UEM, Orlando Quilambo, salientou durante a cerimónia que atribuiu o título ao arquitecto, há dias, o elevado mérito pedagógico e científico demonstrado bem como a forma de ser e estar do galardoado que, segundo o interlocutor, representa um padrão de atitude em que avulta o ideal de entrega ao interesse colectivo, à causa pública e de serviço do país.

Quilambo destacou o papel do laureado na luta pelas desigualdades impostas pelo regime colonial, redução dos índices do analfabetismo, formação de quadros e construção de infra-estruturas. “Seus feitos constituem enormes ensinamentos para nós e pretendemos com este reconhecimento singelo gravar na mente e nos anais a figura e ensinamentos do Prof. Arq. José Pereira Forjaz”, explicou.

Num outro desenvolvimento, o reitor referiu que dos ensinamentos do Professor Forjaz pode se tirar eventualmente das mais difíceis lições, o compromisso e a face humana e universalista que tem e sempre o caracterizaram, o exemplo de sustentação de uma causa difícil em momentos de incerteza, que habilmente conseguia enchê-los de uma grande dose de entusiasmo permanente e não circunstancial.

Ao agradecer a outorga do título, José Forjaz afirmou que no processo de aprendizagem é indispensável que se saiba transmitir ao aluno e ao colaborador que o mais importante não é o que se aprende, mas sim o processo de aprender.

Para o arquitecto Forjaz, o que importa é a necessidade de aprender, aprender todos os dias em todas as ocasiões, aprender sem razão, aprender tudo e todos. “Universidade deve ser uma máquina de ensinar a aprender o conhecimento dos factos, das coisas, das teorias, das estatísticas”, disse.

Num momento final da sua intervenção o laureado disse que a distinção concedida é em reconhecimento aos conhecimentos e princípios sistematicamente transferidos para a construção de um Moçambique cada vez mais justo e próspero, onde a natureza seja respeitada e a sociedade equilibrada.

 

Deixar comentário